Menu


Social

Série | Star Trek Discovery - S01E01 e S01E02


Star Trek na veia!!!

Fala pessoal!


Após um período de férias deste que vos escreve, estamos de volta com tudo no nosso amado e querido Manjaki. Hoje estaremos iniciando mais uma série que estreou recentemente e que possui milhares de fãs ao redor do mundo inteiro.

Star Trek Discovery!

Com um plot não muito criativo do ponto de vista da inovação, mas muito atraente para os fãs e amantes de ficção científica, Star Trek Discovery é ambientado 10 anos antes do eventos ocorrido em Star Trek, ou seja, antes da famosa nave Enterprise e os lendários personagens Kirk e Spock.

O roteiro promete ser focado na guerra da federação contra o império Klingon, que já foi muito falado ao longo das séries e filmes, mas nunca explorado como nesta edição.

Faremos aqui a mesma abordagem do que foi feito com a série Deuses Americanos. Traremos um pequeno resumo do episódio com alguns comentários. Alguns spoilers podem surgir, portanto esperamos que você tenha visto o episódio antes de ler os artigos.

Neste review abordaremos os dois primeiros episódios da série, mas ainda nesta semana traremos o terceiro.

A série estreou no dia 24/09 com um episódio duplo:

S01E01 - The Vulcan Hello

S01E02 - Battle at the Binary Stars

A franquia Star Trek é uma franquia consagrada e com muitos fãs, como já dissemos. Mesmo assim, o roteiro precisava ser escrito com um fundamento e com criatividade. A ideia de abordar a guerra entre a Federação e o império Klingon me pareceu acertada, pelo que pude ver dos dois primeiros episódios.

Logo no inicio temos algumas apresentações, focando muito em duas principais, como já era de se esperar. Acredito que conforme os episódios forem avançando, iremos conhecer mais do restante da tripulação, pois era bem nesse estilo que funcionava a série clássica. Quem viu, sabe do que estou falando.

Somos apresentados a tripulação da nave USS Shenzhou. Lembrando que estamos 10 anos antes dos eventos narrados na série clássica de Star Trek.

Tudo começa quando a capitã Philippa Georgiou, interpretada pela fantástica Michelle Yeoh, e a sua imediata Michael Burnham, interpretada por Sonequa Martin-Green, investigam um problema e acabam dando de frente com um artefato misterioso ao redor de uma formação estelar binária.

A capitã Georgiou envia Burnham para investigar in loco, pois os sensores da nave não conseguem distinguir o que seria a formação misteriosa. Burnham se depara com um guerreiro Klingon e acaba matando-o acidentalmente.


O roteiro acaba indo numa direção já esperada, uma vez que a Guerra será retratada neste seriado e é o seu foco. Alguns flashes mostram a infância de Bunham, que é uma humana que fora criada pelos Vulcanos. Ela tem uma abordagem que lembra levemente Spock, mas por ser totalmente humana fica bem claro que suas emoções são mais intensas. A relação das duas acaba sendo mostrada de uma forma rápida, uma vez que a batalha que é anunciada devido a chegada de uma frota Klingon, não deixa espaço para muita enrolação.

Para mim que acompanhei a série clássica, a expectativa de que esta série não seja somente ação pura é muito grande. Não sou um crítico dos filmes de J.J. Abrahms, mas numa série com 15 episódios prometidos para sua primeira temporada, espero que os detalhes que sempre marcaram a série original estejam presentes. Esperamos aqueles enigmas marcantes de alguns episódios, muito mais do que uma sequência de explosões desenfreadas.


Vejam bem, hoje temos tecnologia para criarmos uma série muito bonita e convincente, mas se Star Trek Discovery não apresentar algo a mais, não será bem recepcionada pelos fãs.

O que vimos neste episódio duplo foi bom. Teve o mistério, muitas apresentações e contextualizações, bem como uma promessa de trama bem empolgante, já que as deixas de que Michael Burnham possui uma relação intensa com o império Klingon deverão nortear suas escolhas, sejam elas lógicas e emocionais. A guerra é anunciada com muitas surpresas, as quais não relato aqui, mas que me deixaram bem empolgados. Isso também era uma marca da série original.

Enfim, passados os primeiros episódios, esperamos que o desenvolvimento agrade.

Quanto a ambientação e trilha sonora, não tenho nada a acrescentar. A escolha de manter o design das armas, do comunicador e os sons originais foi uma bola dentro com classe. Mesmo com toda a tecnologia foi muito legal ver que a ambientação clássica não foi esquecida.

Gostou da série? Gostou do Review? Não gostou de nenhum dos dois? Deixem seus comentários.



Posts Recentes